(Sim, sei, vocês não sabem de que estou falando porque a beleza desapareceu há muito tempo. Ela desapareceu sob a superfície do barulho - barulho das palavras, barulho dos carros, barulho da música - no qual vivemos constantemente. Está submersa como a Atlântida. Dela só restou uma palavra cujo sentido é a cada ano menos inteligível.)
[Milan Kundera]

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Estrelas

"There are no winds that can blow it away on the air
When they try to blow it away's when you know it will always be there,
So thank you, stars."
(Katie Melua)

Se de surpresa dois olhos se reúnem,
Se sem querer se distraem ao se olhar,
São disfarçados dois cristais que se procuram,
Que têm medo de pedir para se amar.

Quando dois olhos encontram por um par,
São mistérios e magia transcendentes
De acordar de um sonho e se notar
Que o mundo é mais ainda surpreendente
Do que o sonho que se tinha de se amar.

Dois olhos que se veem e se conhecem
São diamantes circundados pela face,
E estão seguros por esta fortaleza.

Mas dois olhos que juntos se amanhecem
São estrelas que juntas se renascem.
Furor e encanto que só por tua beleza
Se podia esperar que despertassem.

Um comentário:

Srtª Bêêh disse...

Olhos que procuram os da amada... Olhos estes que se encontram nos dela e por ela se perdem.
Lindo poema, adorei. (*^-^*)